Em que projetos devo usar metodologias ágeis?

Você está envolvido em algum projeto e tem dúvidas se deve usar metodologias ágeis? O crescente e transformador mercado atual exige índices progressivos de inovação, produtividade, lucratividade, redução de custos e adaptabilidade às constantes mudanças de cenários internos e externos a empresa.
metodologias ageis kanban scrum xp
No desenvolvimento de soluções de tecnologia e, em especial, no desenvolvimento de software surgiram as metodologias ágeis.
A partir da idéia de dar maior atenção aos resultados que aos processos, de entregar mais funcionalidades em menor tempo e satisfazer o cliente, respondendo às mudanças obtidas pelo aprimoramento da percepção deste mais que seguir a rigidez de um projeto inicial, as metodologias ágeis se ramificaram e diversos padrões  com sua contribuição para a transformação do trabalho das equipes de software.
Equipes e empresas que adotam a metodologia ágil no desenvolvimento, tais como o SCRUM  e o Extreme Programing (XP) , ou até mesmo é possível desenvolver software com metodologia própria e garantir a redução de custos e ganho de produtividade, além de entregar um software funcional em um menor prazo.
A dúvida que queremos tratar neste artigo e que faz parte do dia-a-dia de muitos CIOs, Gestores de TI e que precisam atender a demanda de suas empresas e diretorias para resolver os mais diversos problemas é sempre em que projetos, efetivamente, é proveitoso usar metodologias ágeis?
As empresas se deparam com as transformações mercadológicas, querem entender o cenário e elaborar estratégias para continuar garantindo “um lugar ao sol”. A necessidade de ter sistemas funcionais e alinhados com o negócio, faz os gestores chamar o CIO e sua equipe à responsabilidade de participar deste processo e dar uma resposta rápida ao problema encontrado.
Consideremos os 4 pilares do próprio manifesto ágil: (1) Valorizar os indivíduos envolvidos e as interações entre eles; (2) Funcionalidade do Software; (3) Trabalho colaborativo; (4) Resposta rápida à mudanças (principalmente de escopo). Observando isto, independente de metodologia adotada, provavelmente estas são as expectativas de todos os envolvidos no desenvolvimento de um projeto de software.
Mas, é claro que existem situações em que não seria possível se utilizar de metologia ágil, e uma das principais é a resistência a mudanças e falta de flexibilidade de prazos, recursos e operações. Ter uma postura de inovação e agilidade de processos garante muitas vantagens  ao projeto, como tempo reduzido de trabalho, melhor aproveitamento dos recursos e mais rapidez no desenvolvimento do projeto.
Em qualquer projeto, o escopo pode sofrer mudanças, o cliente pode não ser satisfeito, nem todos os prazos são cumpridos, os membros da equipe não tem o mesmo nível de motivação e, é claro, nada é dotado de recursos financeiros ilimitados, ao final, é esperado o benefício do ROI deste investimento. E ainda, na conclusão de muitos projetos, muitas funcionalidades não são utilizadas.
Assim, toda equipe de desenvolvimento, ao usar metodologias ágeis, possibilita a criação de bons softwares.
Para decidir a adoção da metodologia ágil dê atenção a 6  benefícios que ela pode trazer para seu projeto:

1 – Retorno sobre o Investimento

Um dos aspectos positivos é poder desenvolver com foco em entregar um software funcional em um prazo menor. A flexibilidade de alterar o escopo e requisitos (conforme a descoberta de necessidades ou aspectos) durante o desenvolvimento, faz economizar recursos que seriam desperdiçados no modelo convencional.

2 – Melhoria de Processos

Com a capacidade de desenvolver ciclos de atividades mais curtos e maior interação e comunicação da equipe, o objetivo é a melhoria contínua dos processos, proporcionando ganhos incrementais de produtividade e assertividade.

3 – A Cultura Organizacional e Pessoas

Como faz parte dos princípios do Ágil envolver pessoas relacionadas ao negócio e a equipe de desenvolvimento trabalhando juntos, toda a cultura da organização e seus stakeholders é absorvida no projeto e, consequentemente, transformada pela inovação esperada em tais projetos.

4 – Comunicação Dinâmica

A valorização da comunicação direta com o cliente e a busca de satisfazer suas expectativas é uma premissa dinamizadora do processo. As equipes são incentivadas a uma comunicação efetiva mais que se delongar em documentações e burocracias do método convencional.

5 – Habilidade de Adaptação

A capacidade expandida de se adaptar a mudanças durante todo o ciclo do projeto é um dos benefícios mais importantes. Se durante o desenvolvimento as variáveis forem alteradas (a exemplo, orçamento, requisitos, pessoal, funções e objetivos), a possibilidade de adaptação rápida é possível, pois não esperaria um período longo pra voltar a reunir-se os envolvidos e tomar as decisões necessárias.

6 – Inovação

O processo de desenvolvimento ágil permite (e até podemos dizer que exige) uma cultura inovadora dos envolvidos. A própria dinâmica de trabalho dentro das metodologias ágeis exigem de seus participantes pensar de maneira inovadora diantes dos problemas e das necessidades que devem ser satisfeitas.

Metodologias ágeis exigem mudança de posturas

A postura de todos os envolvidos em um projeto desenvolvido na metodologia ágil é desafiada à mudanças. O cliente, os usuários, os gestores, os desenvolvedores. Com uma cultura de intensa colaboração, é possível mudar o comportamento de cada pessoa envolvida?
Tradicionalmente, a gestão de projetos seria feita desta forma:

  • A modelagem do sistema é integral no início do projeto.
  • A criação só pode ser iniciada após o completo detalhamento dos requisitos.
  • Os testes só são efetuados ao final da construção do sistema.

Mas, no método ágil, o desenvolvimento é iterativo e incremental. Com a entrega de um software funcional a cada ciclo, todos interativamente planejam, executam, testam e implantam o sistema. Claro que cada qual em seu papel dentro do projeto. A possibilidade de melhoria incremental faz com que a mudança de postura seja uma exigência pela dinâmica do processo.
Segundo Rafael Tofaneli, que integrou a equipe de TI de uma grande indústria do setor de construção civil, basicamente existem algumas implicações em se aplicar metodologias ágeis, e ele mesmo, é partidário apenas da XP e Scrum, as vezes utilizando Kanban para Scrum.
O escopo do projeto e questões culturais devem ser levados em conta para usar estas metodologias.
Se for um projeto com escopo bem definido e delimitado, ou que não exista flexibilidade por parte do Sponsor, comitê, superiores hierárquicos, e que não tenha uma ruptura por problemas culturais, não é aplicável a metodologia ágil. Por exemplo, um roteirizador, um sistema de força de vendas, um sistema de mercado ou qualquer plataforma que o processo operacional da empresa tenha que se adaptar a este sistema (ERP implantado do zero com legado, CRM).
Tofaneli ainda defende que a metodologia ágil, se aplica muito bem nos projetos que o escopo é mutável, onde ele pode ser mudado no meio do projeto, ou que o projeto tenha que ser “vendido” para as pessoas agnósticas na funcionalidade. Neste caso precisa-se de “quick wins”, para já implantar a funcionalidade, envolver o corpo técnico que fará uso da ferramenta, já ir “quebrando o gelo” da mudança e adaptando a funcionalidade para o processo onde ele será aplicado. Por exemplo, implantação de módulos customizados, sistemas onde cabe só ao negócio da empresa, criação de portal, intranet, ou algo que venha a melhorar o processo com os clientes dentro de um nicho de atuação.
E como está adoção de metodologias ágeis em sua organização? Quais os tipos que vocês usam? Deixe-nos saber a respeito.
Vamos continuar esta conversa? Deixe sua opinião abaixo.


 
Fonte consultada: http://pt.slideshare.net/flaviosteffens/cinco-motivos-para-voc-no-adotar-metodologias-geis-rafael-prikladnicki-flvio-steffens-de-castro
 

J.Valderio Santos

Consultor de Tecnologia em Marketing Digital para Pequenas Empresas. Tenho a missão de entregar soluções digitais para empresas e pessoas alcançarem o potencial máximo de seus propósitos. Interessado em Tecnologia, Marketing, Teologia, Filosofia, Literatura e boas conversas com pessoas interessantes.

Deixe uma resposta

Fechar Menu